ARTIGOS

O HMS Warspite17/06/2014por Erich Raeder

Um dos mais famosos navios da Royal Navy durante o século 20, o HMS Warspite serviu a sua marinha com bastante distinção durante duas guerras. Pertencia a Classe Queen Elizabeth de super-dreadnoughts, nada mais que o clímax da corrida naval entre a Grã-Bretanha e a Alemanha desde o lançamento do Dreadnought em 1905. Armado com oito canhões de 381 mm, os Queen Elizabeths foram os primeiros encouraçados britânicos a desempenhar uma velocidade de 23 nós. Eles possuíam uma perfeita combinação de poder de fogo, proteção e velocidade. Na Batalha da Jutlândia, o Warspite foi atingido treze vezes, após seu leme estar emperrado, fazendo-o girar em circulo a frente da Esquadra Alemã. Sua excelente construção fez com que ele não tivesse danos mais sérios, conseguindo escapar da destruição.

Bastante modernizado entre 1934 a 1937, Warspite estava pronto para a ação na Segunda Guerra. Na Segunda Batalha de Narvik em 13 de abril de 1940, seu avião de reconhecimento afundou o submarino alemão U-64 e juntamente com nove destróieres afundou a força alemã, composta por oito destróieres, que haviam tomado o porto de Narvik. O Warspite é bastante lembrado nas suas atuações no Mediterrâneo como capitania do Almirante Andrew Cunningham. Na Batalha da Calábria a 09 de julho de 1940 conseguiria um feito até hoje imbatível quando atingiu a capitania italiana Giulio Cesare a cerca de 24 quilômetros, um recorde de distância de tiro de canhão num alvo em movimento. Acompanhando os navios da mesma classe, Barham e Valiant, na Batalha do Cabo Matapan, a 28 de março de 1941, eles afundaram dois cruzadores pesados italianos em uma notável ação noturna. Em 1942 serviria no oriente contra os japoneses não entrando em ação.

Retornando novamente ao Mediterrâneo presenciou a rendição da Esquadra Italiana em Malta a 10 de setembro de 1943. A 16 de setembro de 1943, foi bastante danificado por uma bomba alemã radio-controlada quando se dirigia para a costa italiana na região de Salerno. Reparado foi enviado para a costa da França na ocasião dos desembarques do Dia D, bombardeando fortemente posições na Normandia e posteriormente Brest, Le Havre e Walcheren Island em 1944. O seu poder de fogo, junto com os demais encouraçados naqueles momentos foram decisivos para o êxito das operações anfíbias. Colocado na reserva a partir de 1945, acabou por ser vendido a 12 de Julho de 1946 para ser desmontado. Em rota para o desmanche o velho navio parecia não desejar este fim, acabando por encalhar na costa da Cornualha tendo que ser desmontado ali mesmo. Um triste fim para uma belonave que venceu duas guerras.

Warspite
Compartilhar: