ARTIGOS

Forças Polonesas17/06/2014por Winston Churchill

A Segunda Guerra Mundial iniciou em 1º de Setembro de 1939 com a invasão alemã a Polônia. Menos de um mês depois, o país estava derrotado e ocupado por forças alemãs e russas. Entretanto, isso não impediu os poloneses em lutar por seu país e sua liberdade junto aos aliados.

Após a derrota, o governo polonês instituiu um governo no exílio, sediado na Inglaterra. Esse governo organizou suas forças armadas, serviços de inteligência e contribuiu substancialmente para o esforço aliado. A Polônia, inclusive, foi o único país derrotado e ocupado pelas forças alemãs que não produziu um governo submisso a Berlin que colaborasse com os nazistas.

Exército Polonês: Após a derrota do país em 39, o governo polonês no exílio imediatamente formou um novo exército na França. Em 1940, a Brigada polonesa Highland lutou na Batalha de Narvik, na Noruega, e duas divisões polonesas (First Granadier Division e a Second Infantry Fusiliers Division) lutaram na defesa da França, enquanto uma brigada motorizada e duas de infantaria estavam em processo de formação. Além disso, uma força independente polonesa chamada Carpathian Brigade foi formada na Síria Francesa, já que muitos poloneses escaparam da invasão alemã pela Romênia. A Força Aérea Polonesa na França era composta por 86 aeronaves, divididas em quatro esquadrões, sendo que dois esquadrões eram operacionais e os outros em vários processos de formação.

Após a queda da França, muitos poloneses haviam morrido em combate ou sido internados na Suíça. Entretanto, o general Sikorski, Comandante-em-Chefe das forças polonesas e Primeiro Ministro, foi capaz de evacuar muitas tropas para a Inglaterra. Em 1941, agraciados com um tratado entre o governo polonês e Stalin, poloneses em prisões soviéticas foram liberados, sendo que um exército de 75.000 homens foi formado no Oriente Médio, sob o comando do Gen. Anders. No fim de 1944, as forças polonesas no fronte oeste contavam com mais de 165.000 homens, incluindo 20.000 da força aérea polonesa e 3.000 da marinha. No fim da SGM, as forças armadas polonesas contavam com mais de 225.000 homens, sendo que muitos eram recém prisioneiros de guerra ou faziam parte de campos de trabalho alemães. O governo comunista, então, organizou seu próprio exército, o Exército do Povo Polonês, que contava com aproximadamente 500.000 homens. Além disso, o Armia Krajowa (Exército Interno Polonês), que foram as forças polonesas de resistência durante a guerra, tinham aproximadamente 200.000 homens e muitos outros membros não oficiais e simpatizantes. Já o exército polonês no fronte leste incluía o 1º e 2º Exércitos, com 10 divisões de infantaria e 5 brigadas blindadas.

Força Aérea: A Força Aérea Polonesa lutou na Batalha da França (133 pilotos, que atingiram 55 vitórias e perderam 15 homens). Mais tarde, lutaram na Batalha da Inglaterra, onde o 303º Esquadrão de Caças Polonês atingiu o maior número de vitórias do que qualquer outro esquadrão aliado. Desde o início da guerra, a RAF aceitou pilotos de outras nacionalidades em seus quadros, com suplemento ao baixo número de pilotos ingleses. Em 11 de junho de 1940, o Governo Polonês no exílio assinou um acordo com o governo britânico para a formação de um Exército Polonês e de uma Força Aérea na Inglaterra. Os dois primeiros esquadrões (de um total de dez) de caças entraram em ação em agosto de 1940. Quatro esquadrões eventualmente tomaram parte da Batalha da Inglaterra (300º e o 301º Esquadrão de Bombas e o 302 e o 303 esquadrões de caças), com 89 pilotos poloneses. Ao todo, mais de 140 pilotos poloneses defenderam os céus da Grã Bretanha nos esquadrões da RAF. Os poloneses normalmente eram os mais experientes em batalha, pois já haviam lutado em 1939 e na Batalha da França em 1940. Além disso, no pré guerra, a Polônia havia se tornado uma das melhores escolas de pilotos. O Esquadrão 303, que tinha o Gen. Tadeuz Kosciuszko em seu comando, atingiu o maior número de abates (273) de todos os esquadrões usados na Batalha da Inglaterra., mesmo tendo entrado em combate apenas em 30 de agosto de 1940. Esses 5% de pilotos alcançaram a marca impressionante de 12% de vitórias aliadas durante a batalha. A Força Aérea Polonesa também lutou na Tunísia (Skalki´s Circus) e nos raids sobre a Alemanha. Ao fim da guerra, a FAP possuía um total de 14000 homens, distribuídos em 15 esquadrões da RAF e na Força Aérea do Exército dos Estados Unidos.

Marinha Polonesa: Assim que a guerra estourou, a maioria das naves da Marinha Polonesa foi enviada em segurança para as ilhas britânicas. Esses navios lutaram ao lado da RN. Em vários estágios da guerra, a Marinha Polonesa era constituída de 2 cruzadores e um grande número de pequenos navios menores, como destroyers (3), submarinos (2) que deixaram o mar Báltico nos fins de agosto de 39. A Marinha Polonesa lutou com grande distinção em várias, importantes e bem sucedidas batalhas, inclusive naquela que envolveu a caça ao encouraçado alemão Bismarck.
Compartilhar: