ARTIGOS

A Vitória Aliada07/08/2013
Por Kiril Meretskov
 
            Ninguém poderia imaginar que a guerra iniciada em 1º de setembro 1939 as 04:45, com o ataque da Alemanha contra a Polônia, poderia durar tanto e ser tão letal. Seis longos anos, milhões de mortos e, ao seu final, o mundo se viu dividido entre duas grandes potências: o Ocidente (representado principalmente pelos Estados Unidos) e o Oriente (dominado pela URSS) que durante a guerra foram aliados, mas depois se tornaram inimigos mortais. Segue aqui um resumo dos últimos instantes desta guerra insana.
            Europa. O regime nazista agoniza em seus momentos finais. O que sobra é uma faixa da Alemanha, pressionada do oeste por forças anglo-americanas e pelo leste pela avalanche do Exército Vermelho. Hitler permanece em Berlim, tentando desesperados movimentos para evitar a derrota. Porém suas tropas somente existiam no papel. No campo de batalha eram unidades desconexas, normalmente sem armamento adequado e sem munição ou combustíveis. Com a morte de Roosevelt no dia 13 de abril, houve muito entusiasmo no Bunker de Hitler, onde estava alojado o comando nazista. Mas as coisas não pareciam melhorar. Hitler ordena que os alemães resistam ao ataque russo: são apenas palavras. Em 16 de abril Zhukov e Koniev atravessam o rio Oder, a ultima fronteira que separava os russos de Berlim, agora distantes apenas 60 km. Zhukov teve problemas para transpor um grupo de elevações chamado Seelow, pois o General alemão encarregado da defesa Heinrici, fez as tropas recuarem para uma segunda linha. Então, quando mais de 20.000 canhões fizeram seu assombroso ataque as linhas alemãs, estas estavam praticamente desertas e, quando os russos avançaram, os alemães voltaram à linha original de defesa. Era somente uma questão de tempo, já que as tropas alemãs não tinham suprimento nem reservas para agüentar.
            No dia 20, aniversário de Hitler, nada se tinha para comemorar. Os russos avançavam e nada podia detê-los. No dia seguinte, as primeiras granadas russas começam a cair em Berlim: é a artilharia russa que já se encontrava ao alcance da cidade. Hitler ordena ao General Steiner que contra-ataque os russos com seu Grupo de Exército, mas este também não era mais do que uma insígnia no mapa: era uma reunião de tudo que se encontrou desde marinheiros do Báltico até estudantes sem armas Na frente ocidental as coisas também estão ruins para os alemães, após cruzarem o Reno em Remagen, onde a ponte Ludendorff foi capturada intacta, as forças aliadas avançavam em direção ao leste. A surpresa obtida pela tomada da ponte não foi de toda aproveitada, demorando um certo tempo para que a cabeça de ponte fosse alargada, porém isso custou muito ao exército alemão, que precisou transferir tropas para aquele setor, deixando outros vulneráveis.
            Com esses acontecimentos, em 19 de março Hitler ordena uma política de terra arrasada assim como tinha feito Stalin em 1941. Essa ordem foi "sabotada" por Speer com ajuda de alguns generais, fazendo com que alguns lugares não fossem destruídos. Também em março, Montgomery prepara uma grande operação, que conta com mais de 25 divisões, para a travessia do Reno inferior. O General Patton - acostumado a competir com Montgomery - conseguiu um dia antes atravessar o rio diante da cidade de Oppenheim com 2 batalhões, que pegaram os alemães de surpresa. Dessa forma, ele ridiculariza a operação de Montgomery. Agora a fortaleza do Ruhr esta ameaçada e um ataque em direção à Berlim é a seqüência lógica.
            Em 28 de março Eisenhower envia um comunicado a Stalin dizendo que não atacaram a capital do Reich, deixando-a para os russos. Isso desagradou a vários generais, mas, além de uma decisão política, para agradar Stalin (que após as tentativas de Himmler de negociar a rendição dos exércitos alemães na Itália, acha que esta sendo vitima de uma trama do ocidente).
            Stalin, não permitindo o acesso da Polônia ao Comitê de Londres, impõe à Romênia um regime comunista, massacrando as classes mais abastadas, tomando seus bens e negando direitos civis. Mas também Eisenhower consultou Bradley sobre a campanha e esse estimou uma perda de mais de cem mil soldados. O fim estava próximo. Em 20 de abril, Hitler toma a decisão de seccionar a Alemanha em duas, uma parte comandada pelo Almirante Doenitz e outra pelo Marechal Kesselring, mas claro que ele ainda continuaria a comandar tudo. Hitler também comunica que não abandonará Berlim sob nenhuma circunstancia e que morrerá ali. No dia 27, Mussolini é morto e seu corpo é pendurado junto ao de sua amante. Nesse mesmo dia tropas de Steiner chegaram a apenas 10 km dos subúrbios de Zehlendorf, pegando os russos desprevenidos. Chegam a apenas 20 km de Berlim mas não tem mais como continuar o ataque. Na noite do dia 30, com as tropas russas às portas da Chancelaria, Hitler toma a decisão final: suicida-se junto com sua esposa Eva Braun, com quem tinha casado um dia antes. Seu corpo é cremado apenas parcialmente por conta da falta de combustível suficiente. O destino de seus restos mortais ainda hoje levanta duvidas, mas há fortes indícios que foram levados para a Rússia e guardados pela KGB. No dia seguinte 1 de maio, a família Goebbels também tem o mesmo fim.
            Nos dias seguintes, as forças alemãs começaram a se render. No dia 7, Jodl e Doenitz assinam, em Reims, a rendição incondicional e oficialmente a guerra na Europa termina no dia 8 de maio de 1945. No Pacifico a luta contra o Japão ainda não tinha acabado, mas com a total supremacia aérea e naval dos aliados os japoneses começaram a ter sérios problemas inclusive de suprimentos. As tropas no continente não recebiam provisões e os chineses começaram a avançar. Em 14 de julho, um duro golpe no combalido Japão. O que restava de sua frota naval estava em Kamaishi, cerca de 400 km de Tóquio e foram atacados pela 3ª Frota, bombardeados e, até o dia 28, nada sobrava da Frota. Em 6 de agosto, aconteceu o primeiro ataque nuclear da humanidade. O mundo viu pela primeira vez o que uma arma dessas podia fazer. Às 08:16, a cidade de Hiroshima foi literalmente destruída. Os japoneses iniciam negociações para o final da guerra. O Presidente Truman autoriza o lançamento no dia 9 de uma segunda bomba em Nagasaki. Nesse mesmo di,a os russos declaram guerra aos japoneses e invadem a Mandchuria. No A 11 de agosto, Meretskov alcançou Muting e Molingohan, a oeste do grande lago Hinkai-Hu; paralelamente, Malinovsky, deixando atrás de si grandes bolsões inimigos, avançava velozmente na direção sudeste. Durante os dias 12 e 13 de agosto, os japoneses tentaram passar à contra-ofensiva, especialmente na frente sudeste.
            O Marechal Meretskov, por sua vez, reagiu rápida e eficientemente, desbaratando a tentativa inimiga. A 14 de agosto as colunas soviéticas continuaram avançando. No mesmo dia, Malinovsky ocupou Solun. No dia 17 a coluna central entrou em Pokotu e Chalantun, a 130 km de Tsitsikar, enquanto que a coluna sul se apoderava de Kaitung a 160 km a noroeste de Hsinking, Purkaiev ultrapassava Kwachwan, e Meretskov, que no dia 13 tinha tomado Hulin, sobre o Ussuri, entrava na cidade de Poli. Em 15 de agosto os aliados cessam as hostilidades contra o Japão e instruem os russos a fazerem o mesmo, mas estes se negam e continuam o ataque.
            A 17 de agosto, os efetivos japoneses começaram a se render aos soviéticos. No dia 19, o avanço dos soviéticos era geral. Malinovsky ocupou Tsitsikar e Liaoyuan, Purkaiev se apoderou de Mergen, sobre o Nonni. Tropas aerotransportadas aterrissaram em Hirin, Mukden, Harbin e Hsinking. A resistência cessava progressivamente em todas as frentes e os soviéticos, finalmente, entraram a 23 de agosto, em Liaoyang, Dairen e Port Arthur. A campanha da Mandchúria tinha chegado ao fim. Em 28 tropas aliadas começam a desembarcar em solo japonês e no dia 2 de setembro é assinada a capitulação final deste império no encouraçado Missouri, ancorado na baía de Tóquio.
Com isso termina a Segunda Guerra Mundial.
Compartilhar: