ARTIGOS

Mitsubishi A6M Zero03/09/2013Motor: Sakae 21, 1130 HP
Velocidade: 570 km/h
Altitude: 11.500 m
Autonomia: 1920 km
1º vôo: abril/1939

O mais famoso aviões de combate japonês era possuidor de uma distinção única, pois foi o primeiro caça baseado em porta-aviões que tinha uma performance correspondente a um caça baseado em terra, essa foi uma singularidade desagradável ao pessoal dos Estados Unidos e Inglaterra que aparentemente não tinha estudado o comportamento dessa aeronave na China ou até mesmo desconhecia a sua existência.

O avião foi desenhado pela Mitsubishi para atender a demanda de aviões baseados em porta-aviões da marinha em 1937, buscando um sucessor para o A5M. As especificações exigiam uma velocidade de 500 km/h e armamento de 2 canhões e 2 metralhadoras. Sobre a liderança de Jiro Horikoshi o novo caça surgiu com um desenho limpo, era um avião leve e com uma reconhecida maneabilidade. Com um motor mais potente, foi aceito para produção em 1940, no ano japonês de 5700, ficando mais conhecido como Zero-Sen, mas para milhões de seus inimigos era mais conhecido simplesmente como Zero.

Antes mesmo dos testes oficiais, foram concluídos 2 esquadrões com 15 aviões que foram enviados para a China em Julho de 1940 para teste em condições operacionais. Eles eliminaram toda a oposição, e foi rigorosamente retratado à Washington pelo Gen. Claire Chennault, comandante da força volutária Flying Tigers (seu aviso foi obviamente arquivado antes mesmo de ser lido). Mais de 400 unidades do A6M2 foram entregues a tempo do ataque a Pearl Harbor. Durante os anos subsequentes, milhares desse avião estiveram em serviço, sua maneabilidade sem rivais combinado com a incomparável autonomia e pequeno motor, fizeram com que o A6M aniquilasse o poder aéreo aliado, e fez o Japão acreditar que o avião seria invencível.

Depois da batalah de Midway, os aliados lentamente foram evoluindo, e o A6M encontrou-se superado pelos F4U e o F6F. A Mitsubishi tentou urgentemente desenvolver novas versões, e o A6M5 foi avião construído em maior quantidade do que nenhum outro avião japones. As melhorias foram pequenas desde então, e poucas unidades do modelo A6M8c, mais potente, foram produzidas, o principal motivo foi a destruição da fábrica da Nakajima.

O modelo final foi o A6M7, versão Kamikaze, de qualquer forma vários outras versões do Zero foram convertidos para as missões suicidas. A produção total foi de 10937 unidades, sendo 6217 produzidas pela Nakajima.
Álbum de Fotos:
A6M Zero


Zero Zero Zero
Compartilhar: