ARTIGOS

Fairey Swordfish - Pequeno Notável03/09/2013Motor:Pégasus III, M3
Velocidade: 225 km/h
Altitude: 3.260 m
Autonomia: 880 Km
1º vôo: abril /1934

O Fairey Swordfish foi um bombardeiro torpedeiro usado pela Frota de Ar da Royal Navy durante a Segunda Guerra Mundial. Carinhosamente chamado de Stringbag (saco de cordas) por suas tripulações, já estava ultrapassado quando a guerra estourou, mas operou como aeronave de ataque até 1942.

O Swordfish foi baseado no Fairey PV e oferecido à Royal Navy como aeronave de reconhecimento e ataque com torpedos. O protótipo TSR II voou pela primeira vez em abril de 1934. Era um grande biplano com uma camada de metal que o cobria e asas para operar em porta-aviões. O avião entrou em serviço em 1936. Em 1939, a RN possuía treze esquadrões equipados com os Swordfish.

A arma a ser utilizada no Swordfish seria o torpedo, mas sua baixa velocidade e a necessidade de uma aproximação longa tornou muito difícil sua utilização contra alvos bem guardados. Entretanto, 21 Swordfish lançados do porta-aviões HMS Illustrious fizeram um grande estrago na frota italiana em 11 de novembro de 1940, no porto de Taranto e depois, em maio de 1941, também foram vitais em avariar o Encouraçado de Bolso Bismarck. Os Stringbaf também foram usados em vôos anti navios quando baseados em Malta.

Os problemas com a aeronave foram duramente demonstrados em fevereiro de 1942, quando um ataque a crusadores alemães no Canal da Mancha resultou na perda de todos os aviões atacantes. Com o desenvolvimento do novo torpedo, os Swordfish foram logo redesignados para serem usados como anti submarinos. Quando lançados de porta-aviões usavam o sistema RATO, de ajuda a decolagem com o uso de pequenos foquetes. O Swordfish deveria ser substituído pelo Albacore, também da Fairey, também um biplano, mas o sistema de biplano já estava ultrapassado. Então, o Barracuda, monoplano, foi seu substituto.

As versões Mark II e III foram introduzidas em 1943. O Mark II tinha combertura de metal nas asas baixas que permitia o uso de fogueres, e o Mark III possuía uma unidade centrimétrica de radar. A produção dos Swordfish foi encerrada em 1944 com o Mark IV, que possuía um cockpit coberto para uso da RCAF (Canadá). A aeronave foi retirada de serviço em 1945. Aproximadamente 2.400 unidades foram construídas.
Álbum de Fotos:
Fairey Swordfish


Swordfish Swordfish Swordfish
Compartilhar: