ARTIGOS

O Fim da Kriegsmarine02/09/2013Por Erich Raeder*

A entrega do pouco que restou


Desde a sua reconstrução, após o fim da grande esquadra afundada em Scapa Flow em 1919, a Marinha Alemã construiria diversos navios formidáveis, mas terminaria a Segunda Guerra com apenas dois navios grandes, realmente operacionais e intactos.

Tal como em 1919 após os afundamentos, o que restou da marinha seria cedida aos aliados, com uma diferença. Após a 1ª Guerra a Marinha Alemã ainda contaria com alguns navios que pelo armistício ainda ficariam sob seu poder. A marinha da 2ª Guerra deixaria totalmente de existir.

O fim da marinha começou a se definir praticamente no último mês da guerra. Ainda estavam intactos mas imobilizados em seus portos, os encouraçados de bolso Admiral Scheer e o Lützow, que acabaram e abril destruídos por ataque aéreos, o cruzador pesado Admiral Hipper e o cruzador leve Eden tomaram o mesmo destino em Kiel. O cruzador leve Köln seria afundado em Wilhelmshaven a 30 de abril.

A 04 de abril de 1945 foram terminadas as hostilidades, e o que restou da Marinha Alemã foram tão somente o intacto cruzador pesado Prinz Eugen, o cruzador leve Nürnberg e o Leipzig que após a colisão com o Prinz Eugen em outubro de 1944 estaria estacionado em Gotenhafen. Ainda restariam 15 destróieres e vários submarinos alemães que particularmente, sobretudo os do tipo XXI e “Walter”, seriam objetos de estudos dos aliados trazendo várias inovações tecnológicas na área submarina do pós-guerra.

arquivo sem legenda ou nome














O cruzador leve Nürnberg

A 24 de maio de 1945, o Prinz Eugen juntamente com o Nürnberg são escoltados de Copenhagen até Wilhelmshaven pelos cruzadores britânicos Dido e Devonshire. A 05 de novembro de 1945 o Nürnberg é cedido a Marinha Soviética. A 02 de janeiro de 1946 após ser comissionado em Wilhelmshaven, parte juntamente com o Z16 - Erick Steinbrinck, T33, T107, e o navio alvo pré-dreadnought Hessen rumo a Libau. Em Libau o resto da tripulação alemã é desembarcada, e o Nürnberg torna-se capitania da Esquadra Norte do Báltico sob o nome de Admiral Makarov. A 13 de março de 1959 ele é desmontado com seu casco ainda em ótimas condições. O Leipzig, navio semelhante ao Nürnberg, é transferido a Wilhelmshaven , e à 16 de dezembro de 1946 é rebocado para o Mar do Norte, para ser afundado em alto mar por cargas de gás.

arquivo sem legenda ou nome








O destróier Karl Galster

Os destróieres foram designados desta forma: O Z.4 Richard Beitzen, cedido em 1947 para a Grã-Bretanha, sendo desmontado na seqüência. O Z.5 Paul Jacobi fora enviado à França, renomeado como Desaix foi desmontado em 1951. O Z.6 Theodor Riedel cedido a França tornou-se o Klebar sendo desmontado em 1958. O Z.10 Hans Lody fora enviado a Grã-Bretanha sendo renomeado como R38 e desmontado em 1949. O Z.14 Friedrich Ihn juntamente com o Erick Steinbrinck foram cedidos a USSR em 1946, este último renomeado como Pylki. O Z.20 Karl Galster, o único sobrevivente da Z.17 classe de destróieres acabou sendo cedido a USSR em 1946 e sob o nome de Prochny seria desmontado em 1958. Ainda outros tiveram vários destinos. O porta-aviões Graf Zeppelin, usado como alvo para testes pelos russos em Swinemünde acabou afundado na rota para ser desmontado. O inacabado Seydlitz, cruzador pesado que seria convertido em porta-aviões, seria desmontado pelos russos no pós-guerra.

arquivo sem legenda ou nome

















O Cruzador Pesado Prinz Eugen em 1945.

O cruzador pesado Prinz Eugen, o maior navio que restou ao final da guerra, após várias negociações com o governo americano, foi cedido pelos britânicos para os testes atômicos dos EUA no Atol de Bikini em 1946. A 13 de dezembro de 1945 é cedido aos Estados Unidos renomeado como (IX-300). A 22 de janeiro de 1946 chega a Boston onde sua última tripulação alemã é desembarcada. No Philadelphia Navy Yard seus canhões da torre Anton são retirados para análises. A 01 de junho de 1946 acontece o teste atômico com a bomba Able, o Prinz Eugen a 1.194 jardas recebe poucos danos. No segundo teste a 25 de junho de 1946 com a bomba Baker ele está a 1.990 jardas do ponto de detonação e sofre alguns danos na linha d’água. Posteriormente ele, junto com outros navios sobreviventes são rebocados para o Atol de Kwajalein para ser examinado e para próximos testes, bomba Charlie. Após seis dias com água entrando no navio por causa de danos nas válvulas devido aos choques sub-aquáticos, o Prinz Eugen emborca e afunda à 22 de dezembro de 1946.
A Marinha Alemã estava definitivamente liquidada.
Compartilhar: